Clareamento dental deixa os dentes fracos? Entenda aqui!

Clareamento dental deixa os dentes fracos? Entenda aqui!

Não há dúvidas de que um belo sorriso traz uma série de benefícios! Fugir do temido efeito amarelado e alcançar um visual clean é possível com o clareamento dental. O procedimento pode melhorar não só a estética, mas também a autoestima e o bem-estar de muitos pacientes.

Esse fato faz com que, a cada dia, mais pessoas busquem por alternativas estéticas odontológicas capazes de eliminar manchas e outras imperfeições. E esse é o caso dos tratamentos clareadores. No entanto, existem alguns mitos sobre eles e muitos acreditam que o procedimento deixa os dentes fracos.

Pensando nisso, criamos este post para solucionar todas as suas dúvidas e mostrar as vantagens dessa técnica segura e eficaz. Confira a seguir!

Entenda como é feito o clareamento dental
Muito se fala sobre os processos de clareamento dental, mas pouco sobre o seu funcionamento. Essa técnica é utilizada por cirurgiões-dentistas para eliminar manchas e melhorar a tonalidade dos dentes, de forma a aproximá-la da coloração natural.

O tratamento usa produtos químicos, como o gel à base de peróxido de hidrogênio ou carbamina, e pode ser realizado em casa ou no consultório. Porém, seja qual for o método escolhido, é imprescindível a supervisão de um profissional, que deve indicar o melhor produto e a dosagem adequada.

No consultório, o clareamento tem efeito mais rápido porque é feito com substâncias mais concentradas. Já o clareamento caseiro é executado pelo próprio paciente com uma moldeira de silicone e gel clareador. O dentista orienta sobre a quantidade necessária e o tempo de uso para obter os melhores resultados.

Antes do procedimento
É preciso que o dentista avalie seu estado de saúde bucal para saber se o clareamento é indicado ou não. Ele faz, ainda, a profilaxia — uma limpeza mais detalhada — para eliminar a placa bacteriana e o tártaro.

Por se tratar de um produto forte, antes de começar o tratamento, o profissional faz, caso necessário, o tratamento da mordida torta, das retrações gengivais e dos dentes desgastados na região próxima da gengiva.

Para iniciar o procedimento, o dentista protege as mucosas e as gengivas do paciente para que o clareamento ocorra sem dor ou ferimentos. Em seguida, o gel é espalhado pela superfície dos dentes e o profissional pode usar laser ou LED para que as propriedades clareadoras sejam ativadas e o efeito seja potencializado.

Prático, seguro e indolor, o tratamento pode ser concluído em poucas sessões, conforme indicação, e é uma das técnicas mais procuradas atualmente.

Conheça os produtos utilizados
Muitos afirmam, de modo equivocado, que o clareamento dental deixa os dentes fracos. Para você entender melhor, venha conhecer os produtos utilizados.

As substâncias usadas no procedimento são o peróxido de hidrogênio ou o de carbamida. Quando aplicado nos dentes, ele libera moléculas de oxigênio, que são responsáveis por penetrar no esmalte dentário, quebrar os pigmentos e proporcionar o efeito mais branco.

Essa limpeza “interna”, desde que utilize o gel pelo período de tempo recomendado, não danifica os dentes — ou seja, não os enfraquece.

O ideal é optar por versões com pH de 5,5 no máximo. Isso garante que nenhum elemento do dente (como o cálcio e o fosfato) seja perdido. Portanto, a escolha de um profissional qualificado faz toda a diferença no seu sorriso. Isso porque ele sabe a concentração e tempo adequados de uso para garantir a segurança do tratamento.

Contraindicações
Apesar dos resultados incríveis dessa técnica, é preciso destacar que ela não é eficaz para algumas manchas dentárias, como as decorrentes do uso de antibióticos. Também não permite clarear dentes escurecidos por tratamento de canal ou alterar a cor de resinas utilizadas em restaurações.

Veja a relação entre o clareamento e a sensibilidade
Muitas pessoas acreditam que o clareamento dental pode enfraquecer os dentes, principalmente porque o associam à sensibilidade. Na verdade, o paciente pode sofrer uma sensibilidade dentária por alguns dias após as sessões. Assim, é normal sentir desconforto ao consumir alimentos muito quentes ou gelados nesse período.

Para minimizar o problema, o dentista pode fazer a aplicação de flúor nos dentes afetados ou recomendar o uso de creme dental específico para casos de sensibilidade.

Quem já tem problema de sensibilidade deve evitar o procedimento clareador para não agravar essa condição. Por isso, antes de realizar qualquer tratamento bucal, busque um profissional capacitado e tire todas as suas dúvidas.

Descubra os benefícios do procedimento
Depois de escolher o melhor profissional para realizar o clareamento dental com segurança, você verá seus dentes ficarem mais brancos, sem manchas e com aspecto visual saudável. Porém, o ideal não é um sorriso extremamente branco, pois o aspecto fica artificial.

Aliás, esse é o alerta quanto ao clareamento: o procedimento, mesmo o caseiro, deve ser realizado sempre com orientação e acompanhamento profissional para evitar uma tonalidade inadequada ou perigos para os dentes.

Bem-estar
Após o clareamento dental o paciente ganha mais confiança para sorrir, lidar com as pessoas e transmitir uma aparência melhor entre seus amigos ou no ambiente de trabalho. Afinal, ninguém se sente confortável para sorrir ou conversar quando os dentes estão amarelados ou escuros.

Leia também: WhiteDent funciona

Além disso, isso demonstra que se tem cuidado com o corpo e a higiene. Essa mudança reflete diretamente na qualidade de vida. Vale a pena!

Confira as dicas para manutenção
O efeito do clareamento pode durar até 1 ano. Para isso, é necessário ter alguns cuidados básicos no dia a dia, durante e após o tratamento, para preservar sua durabilidade. Conheça alguns deles a seguir.

Boa alimentação
Alguns alimentos podem alterar a pigmentação dos dentes. É o caso do café, do vinho, do açaí e de produtos com corantes, como refrigerantes e catchup.

É preciso cuidar também da sensibilidade dentária: evite alimentos muito quentes ou gelados, bem como frutas cítricas e temperos fortes. Sempre que os consumir, escove os dentes o mais rápido possível.

Se a dor persistir, consulte seu dentista pois pode se tratar de uma erosão dentária ou de uma raiz exposta. Dependendo do caso, pode ser preciso fazer a correção ortodôntica ou um enxerto de gengiva.

Não fumar
Você já deve saber sobre os males causados pelo cigarro à saúde, certo? A nicotina é uma das grandes responsáveis pelo efeito amarelado nos dentes. Caso o seu vício seja forte, é possível solicitar ao médico alguns adesivos de nicotina ou medicamentos que auxiliem nesse processo.

Higiene bucal
Escove os dentes diariamente, após todas as refeições, e faça uso do fio dental. Você precisa, ainda, evitar produtos coloridos presentes em algumas pastas ou enxaguantes bucais. Essas substâncias são capazes de causar manchas após o tratamento. Procure por opções transparentes e pouco abrasivas.

Além disso, seja gentil na hora da escovação: utilize uma escova de cerdas macias e faça movimentos suaves para não desgastar os dentes.

Se você quer eliminar manchar e exibir dentes mais bonitos, procure um dentista para fazer o clareamento dental. E fique tranquilo porque o tratamento não deixará seus dentes fracos!

A precaução é sempre tirar as dúvidas com um profissional capacitado e, mesmo que for realizar o procedimento em casa, contar com orientação especializada! Assim, você garante um clareamento seguro e um resultado com tonalidade natural.

Sexualidade, controle e ansiedade de desempenho

Origens, consequências e hipóteses de tratamento

Hoje em dia estamos acostumados a viver nossa vida cotidiana com pressa. Vivemos todos os dias de acordo com nosso trabalho e nossos compromissos. Cada momento é útil para fazer algo e é frequentemente usado para remediar um prazo ruim ou para finalmente alcançar nosso próximo objetivo. Estamos acostumados a ser valorizados por nossos compromissos e pelas metas conquistadas com muito esforço. Essa atitude está cada vez mais tomando conta de nossas vidas e mais e mais casais têm problemas na esfera emocional e sexual.

As relações sexuais são frequentemente experimentadas como uma dimensão de desempenho e avaliação, como uma demonstração da “competência” que certos modelos culturais nos impõem e que deve ser confirmada pela satisfação do parceiro.

Não é tão difícil cair na ansiedade do desempenho relacionada ao medo do fracasso , da desconfirmação e do fracasso .

Conheça o estimulante masculino chamado Macho Power.

O homem em particular, muitas vezes cai nesse sentimento que se manifesta no medo de incorrer em episódios disfuncionais, como a ejaculação precoce ou tardia , a disfunção erétil ou a impossibilidade de atingir o orgasmo .
A ansiedade do desempenho sexual e o medo do fracasso são muito comuns hoje em dia e suas origens caem em uma concepção do ato sexual distorcido baseado em falsas crenças.

O sexo perde assim o seu prazer natural e torna-se uma performance orientada para impressionar o parceiro, em vez de expressar um sentimento pessoal. A satisfação do parceiro torna-se assim mais importante do que o próprio prazer. A conseqüência direta? Apenas satisfação sexual parcial.

Nossa mente e, acima de tudo, nosso corpo colocam fortes defesas com o objetivo de enfrentar seus medos sexuais mais profundos. Portanto, esses bloqueios e sensações não permitem que o homem se deixe ir completamente. Sua mente está sempre atenta e atenta a todos os mínimos detalhes.

Muitas vezes eles são inseguros e perfeccionistas que não podem confiar uns nos outros. A busca excessiva de aprovação pelos outros, a atitude diante de um controle racional prevalente e a tendência à ativação ansiosa podem representar fatores predisponentes à ansiedade de desempenho. No entanto, qualquer pessoa pode incorrer em ansiedade de desempenho se experiências e experiências, mesmo episódicas, convergirem para esse condicionamento emocional.

A ansiedade de desempenho sexual pode ser considerada uma forma específica de ansiedade social ou fobia associada ao medo do fracasso sexual no qual eles projetam, por outro, seus medos de inadequação e auto-julgamento.

Entre as graves conseqüências da ansiedade de desempenho está o enfraquecimento da auto – estima e uma progressiva diminuição da expressão sexual, até uma diminuição drástica no desejo e na evitação das relações sexuais .

Superar a ansiedade do desempenho significa modificar a abordagem da sexualidade, modificando estilos cognitivos e relacionais. É importante que o homem aprenda a desenvolver maior competência no gerenciamento da ansiedade e que ele seja capaz de alcançar um estado de relaxamento psico-corpóreo.

O objetivo do tratamento da ansiedade de desempenho depende do problema específico relatado pelo homem (ejaculação precoce ou tardia, disfunção erétil ou a impossibilidade de atingir o orgasmo).

Em geral, é importante que o homem consiga viver a relação sexual em plena liberdade e em pleno gozo . É necessário reduzir as expectativas em relação a si mesmo e aumentar a auto-estima, tentando não ser mais observadores do próprio corpo e simples espectadores do desempenho sexual.

Para uma atividade sexual satisfatória, o indivíduo deve ser capaz de suspender todos os pensamentos distraídos e se perder na experiência erótica.

Disfunções sexuais de origem psicogênica relacionadas à ansiedade de desempenho e fenômenos do espectador (disfunção erétil, ejaculação precoce, evitação sexual e perda de desejo, distúrbios da excitação, dor sexual e anorgasmia) elas podem ser tratadas com eficácia com a ajuda de um sexólogo por meio de terapias sexológicas curtas e técnicas psicoterapêuticas de relaxamento e controle da ansiedade.

DISFUNÇÃO ERÉTIL E IMPOTÊNCIA SEXUAL – VEJA AS CAUSAS E SINAIS

DISFUNÇÃO ERÉTIL E IMPOTÊNCIA SEXUAL – VEJA AS CAUSAS E SINAIS

A Disfunção Erétil (DE), também conhecida como impotência sexual, é um distúrbio caracterizado pela dificuldade de se obter e/ou manter, de maneira constante, uma ereção peniana adequada e suficiente para a atividade sexual satisfatória (desde a penetração até a ejaculação). Milhões de homens em todo o mundo são atormentados por problemas de disfunção erétil (impotência sexual) e por motivos de desinformação, medo ou vergonha de procurar um profissional para o tratamento adequado, acabam comprometendo seus relacionamentos, deixando de usufruir de uma vida sexual saudável e feliz, com qualidade de vida. A impotência sexual é uma circunstância frustrante que afeta não somente o indivíduo, mas também a parceira, a família, desempenho no trabalho, relacionamento interpessoal, etc. Atinge 52% dos homens entre 40 e 70 anos, em diferentes graus de intensidade (leve, moderada e severa). Milhões e milhões sofrem deste terrível problema, que pode ser algo realmente devastador na vida de um homem. A dificuldade para iniciar o tratamento adequado é o grande obstáculo a ser vencido. Portanto, conhecer o problema, vencer o medo e a vergonha e procurar ajuda médica especializada para o tratamento adequado são os principais fatores que o levarão à solução dos seus problemas.

COMO OCORRE UMA EREÇÃO

A ereção é uma reação involuntária em resposta à estimulação ou excitação sexual. O homem não pode ter uma ereção simplesmente porque quer tê-la. O estímulo ou excitação sexual fazem com que o cérebro, os nervos, o coração, os vasos sanguíneos e os hormônios trabalhem juntos afim de aumentar rapidamente a quantidade de sangue fluindo para dentro do pênis. O sangue fica preso dentro das duas câmaras esponjosas (corpos cavernosos) localizadas no corpo do pênis. Ao encherem-se de sangue, as câmaras expandem-se fazendo com que o pênis adquira rigidez e se alongue em tamanho e diâmetro.

Leia também: Viagra Natural funciona

FISIOLOGIA DA EREÇÃO

Para um maior entendimento sobre a disfunção erétil – DE, é importante compreender como o pênis funciona normalmente. O processo de ereção normal inclui as cinco fases seguintes:

FASE 1: Preenchimento inicial com estimulação sexual ou psicológica, neurotransmissores causam o relaxamento da musculatura lisa do pênis, aumentando o fluxo sanguíneo para os corpos cavernosos.
FASE 2: Ereção parcial – Tumescência – O aumento do fluxo sanguíneo alonga e expande o pênis. As artérias penianas expandem para acomodar o aumento do fluxo sanguíneo necessário para alongar e expandir o pênis.
FASE 3: Ereção completa – O aumento do volume de sangue dentro do pênis é impedido de drenagem, promovendo a expansão do pênis até a ereção completa.
FASE 4: Ereção Rígida – Máxima rigidez é atingida. A glande e o corpo esponjoso ampliam até as veias penianas serem vigorosamente comprimidas. Isso aumenta a tumescência e mantém a máxima rigidez peniana. Emissões de esperma e ejaculação ocorrem.
FASE 5: Retorno à flacidez – Detumescência – contrações musculares resultam no aumento do fluxo sanguíneo para fora do pênis, diminuindo assim o seu comprimento e espessura até a flacidez.
Alterações podem ocorrer durante qualquer uma das quatro primeiras fases da ereção impedindo com que você alcance ou mantenha a ereção. Embora dificuldades também possam ocorrer durante a quinta fase – detumescência, elas não são geralmente incluídas nas discussões sobre disfunção erétil.

CAUSAS DA DISFUNÇÃO ERÉTIL

Entre as causas de origem psicológica podemos citar:

Ansiedade
Estresse
Depressão
Baixa autoestima
Cansaço, fadiga
Sentimento de culpa
Ansiedade com relação ao desempenho, como medo de falhar ou de não satisfazer a parceira
Preocupações com dinheiro, contas a pagar, desemprego, instabilidade no trabalho, entre outras
Ansiedade com relação ao desempenho, como medo de falhar ou de não satisfazer a parceira
Preocupações com dinheiro, contas a pagar, desemprego, instabilidade no trabalho, entre outras
Discórdias, brigas, discussões com a parceira
Incidente prévio de fracasso sexual causado por excesso de ingestão de álcool ( bebedeira ), cansaço, preocupação, nervosismo, sentimento de culpa, entre outras.

CAUSAS DE ORIGEM FÍSICA ( ORGÂNICA )

As causas físicas da disfunção erétil geralmente afetam uma fase particular no processo da ereção. Entre as causas de origem física podemos citar:

DIABETES
A diabetes é uma das causas mais comuns da disfunção erétil. Nervos ou vasos sanguíneos que controlam o fluxo de sangue para o pênis podem tornar-se permanentemente danificados em consequência do diabetes, podendo levar à disfunção erétil.

DOENÇA DE PEYRONIE
A doença de Peyronie costuma se manifestar através de fibroses no interior do pênis, que podem provocar deformidades penianas, como curvaturas, afinamentos, perdas de tamanho. Pode provocar curvaturas penianas que se manifestam durante a ereção e que podem atingir 90 graus ou mais tanto para cima, como para baixo ou para os lados, podendo estar associada ou não a dor durante as ereções. Desta forma, pode dificultar ou até mesmo impossibilitar o ato sexual. Associado à doença de Peyronie, poderá haver disfunção erétil em graus variáveis de intensidade em até 50% ou mais dos casos.

DOENÇAS CARDIOVASCULARES
Problemas vasculares, tais como o endurecimento das artérias (arteriosclerose), pode tornar lento o fluxo de sangue dentro do pênis, o que torna difícil obter ou manter uma ereção. Obs: Uma vez que isto afeta os vasos pequenos antes de afetar os vasos maiores, encontrando um problema de disfunção erétil poderia sinalizar a presença de uma doença cardiovascular. Às vezes, as veias que mantêm o sangue no pênis durante uma ereção são danificadas e a ereção não é mantida tempo suficiente para que uma relação sexual ocorra.

PROBLEMAS HORMONAIS
Algumas doenças, tais como insuficiência renal e doença hepática, podem perturbar o equilíbrio dos hormônios, os quais controlam as ereções. Baixos níveis de testosterona também pode ser um fator.

TERAPIA COM ALGUMAS DROGAS ( REMÉDIOS )
Estudos indicam que algumas drogas (remédios), incluindo algumas prescrições para pressão arterial alta, depressão e uma série de outras condições, podem causar disfunção erétil pela interferência com os impulsos nervosos ou fluxo de sangue para o pênis. Importante: Medicamentos nunca devem ser alterados sem a permissão do seu médico. Fale com o seu médico sobre quaisquer preocupações que você tem em relação a potenciais efeitos da medicação com relação à disfunção erétil.

ALCOOLISMO
O alcoolismo perturba os níveis hormonais e pode levar a danos permanentes do nervo, causando impotência sexual.

TABAGISMO ( FUMO )
O fumo pode levar a uma doença vascular ou outros problemas de saúde, que podem causar impotência sexual.

CONSUMO DE DROGAS ILÍCITAS
O consumo de drogas ilícitas ( maconha, cocaína, haxixe, crack, etc ) acomete a parte sexual, provocando uma redução importante da parte circulatória na região peniana, podendo levar a problemas de ereção.

PROBLEMAS HORMONAIS
Algumas doenças, tais como insuficiência renal e doença hepática, podem perturbar o equilíbrio dos hormônios, os quais controlam as ereções. Baixos níveis de testosterona também pode ser um fator.

TRAUMAS NO CORPO
Traumas no corpo podem resultar em disfunção erétil. Alguns desses traumas incluem:

Fraturas pélvicas
Lesões da medula espinhal
Lesões Perineais
Danos cerebrais

TRAUMAS NEUROLÓGICOS
Traumas neurológicos podem causar disfunção erétil. Estes tipos de traumas incluem:

Cirurgia nas Costas
Lesões da medula espinhal
Algumas malformações congênitas, como espinha bífida
Tumores cerebrais e/ou aumento da pressão intracraniana
Doença muscular, como esclerose múltipla

PRIAPISMO
Priapismo é uma ereção que dura mais tempo do que o normal e é causada por outras razões que não o desejo sexual. Caso uma ereção dure mais de quatro horas, pode causar lesão tecidual resultando em disfunção erétil. Causas de priapismo incluem:

Doenças do sangue, como anemia falciforme e leucemia
Medicamentos (orais e injetáveis) para a disfunção erétil impropriamente prescritos ou indevidamente utilizados. Importante: Nestes casos, procure urgente um serviço de emergência mais próximo, a fim de interromper a ereção e evitar a ocorrência de graves consequências para a função erétil do pênis.

CIRURGIAS
Cirurgias que interrompem o fluxo sanguíneo ou comprometem os nervos que conduzem os estímulos responsáveis pela ereção podem resultar em disfunção erétil. Algumas destas cirurgias incluem:

Prostatectomia Radical (retirada da próstata em caso de tumor)
Cirurgias no Intestino que envolvem o reto e o períneo
Cirurgias na bexiga ou uretra
Cirurgias no feixe neurovascular ou próximo dele
Cirurgias na Coluna

EFEITOS DO ENVELHECIMENTO
Estima-se que 65% dos homens acima de 65 anos têm algum tipo de disfunção erétil. Estatisticamente, o número de homens que possuem este problema aumenta conforme a idade aumenta. No entanto, a idade por si só não causa disfunção erétil. Mas é natural que os homens mais velhos são mais suscetíveis a terem doenças e realizarem tratamentos ( como a cirurgia da próstata, em caso de tumor ) que podem causar disfunção erétil.

SINAIS DA DISFUNÇÃO ERÉTIL

A disfunção erétil ( impotência sexual ) não é um problema que desaparece sozinho. Se suspeitar, é importante fazer uma consulta médica logo que tornar-se aparente. Isso pode ajudar a evitar traumas psicológicos, que podem piorar a situação. Pode também ajudá-lo a obter um diagnóstico para uma condição física subjacente grave tais como diabetes ou doenças cardíacas, que possam primeiramente se tornar aparentes com os sintomas da disfunção erétil.

Transtornos sexuais e urinários que prejudicam o casal

A ereção e os distúrbios urinários relacionados ao aumento da próstata são comuns em homens e aumentam com a idade. Quanto eles pesam na vida do casal? E porque, hoje, de problemas sexuais, você pode conversar com o médico e o parceiro, mas os distúrbios urinários continuam sendo um tabu?


Primeiro de tudo, falamos de um transtorno íntimo, se entendermos que é tratável. Em 1998, ele começou a falar sobre a disfunção eréctil (DE), porque o Viagra, e então seus dois primos, Cialis e Levitra, têm dado a resposta que o homem estava à espera de milhares de anos: para encontrar ereção adequada após temia que ele tivesse perdido para sempre. Hoje estamos falando de ejaculação precoce porque a primeira droga eficaz para tratá-la está disponível, a dapoxetina. No entanto, mesmo os distúrbios do trato urinário masculino (sintomas Lower Urinay Trato, LUTS) “inferiores” que está afetando a bexiga e da próstata, são curáveis, mas os homens tendem a falar pouco, e só quando os sintomas se tornou grave e incapacitante. Se é um distúrbio da fase de enchimento da bexiga, com urgência (dificuldade / incapacidade de adiar o estímulo urinário), freqüência urinária, despertares noturnos para urinar (noctúria), ou um distúrbio da fase de esvaziamento da bexiga (com dificuldade em iniciar a micção), o problema do tabu não muda. Ninguém admite, mesmo com o seu médico, use um tecido no deslizamento – ou até mesmo um mini-absorvente – para evitar ser com o constrangimento de um ponto de vazamento involuntário mesmo algumas gotas de urina devido a micção urgente. No entanto, muitos usam isso. Os urologistas sabem disso bem quando visitam seus pacientes. usar um lenço nos cuecas – ou mesmo uma mini-toalha – para evitar estragar com uma mancha involuntária, mesmo com algumas gotas de urina devido a uma urgência urinária. No entanto, muitos usam isso. Os urologistas sabem disso bem quando visitam seus pacientes. usar um lenço nos cuecas – ou mesmo uma mini-toalha – para evitar estragar com uma mancha involuntária, mesmo com algumas gotas de urina devido a uma urgência urinária. No entanto, muitos usam isso. Os urologistas sabem disso bem quando visitam seus pacientes.

Quer ter uma vida sexual melhor? Conheça o Lib Power

Existem outros fatores de frenagem emocional mais profundos que tornam o problema urinário ainda “indescritível”? Sim, dois: porque há milênios o problema urinário é sentido como evidência de envelhecimento biológico sem retorno – agora “eu tenho a próstata” (aumentada) – com repercussões depressivas poderosas. E porque a incontinência prejudica a autonomia física e social e a percepção da dignidade da pessoa. Não é por acaso que a criança é considerada autônoma quando tem continência urinária e fecal; e do outro lado da vida, a incontinência é a principal causa da institucionalização dos idosos.

Uma pesquisa internacional, para entender como a coexistência das duas condições patológicas, DE e sintomas urinários, entra no cotidiano dos homens e casais, foi realizada em 1509 pessoas (756 homens entre 40 e 65 anos, 753 mulheres entre 30 e 65 anos) em oito países, incluindo a Itália (Reino Unido, Alemanha, França, Espanha, Canadá, México, Brasil). Eu apresentei os dados chave de sexta-feira, 21 jun, em Berlim, durante o Congresso conjunta da Sociedade Internacional de Medicina Sexual (ISSM) e da Sociedade Europeia de Medicina Sexual (ESSM), com o professor Andrea Salonia, San Raffaele Hospital Urologista Milan. Aqui estão os dados nacionais: 72% dos homens e 81% das mulheres italianas afirmam que a combinação de disfunção erétil e sintomas urinários impede que os prazeres da vida cotidiana sejam experimentados; 73% dos homens e 63% das mulheres revelam que sua vida sexual é afetada negativamente. Ele quebra: em 57% ele se sente “velho”; o casal, acima de tudo, argumenta, mais do que em outros países. O embaraço de falar sobre isso para o homem é muito forte: 75% dos entrevistados admitem, confirmando a força do tabu comunicativo. O homem fala com menos constrangimento com o médico de emergência, em vez do problema urinário. Ao buscar ajuda, faz-se para melhorar a vida sexual no caso de DE (64% dos casos), vida diária em caso de sintomas urinários (43%). confirmando a força do tabu comunicativo. O homem fala com menos constrangimento com o médico de emergência, em vez do problema urinário. Ao buscar ajuda, faz-se para melhorar a vida sexual no caso de DE (64% dos casos), vida diária em caso de sintomas urinários (43%). confirmando a força do tabu comunicativo. O homem fala com menos constrangimento com o médico de emergência, em vez do problema urinário. Ao buscar ajuda, faz-se para melhorar a vida sexual no caso de DE (64% dos casos), vida diária em caso de sintomas urinários (43%).

A boa notícia? Um estudo internacional mostrou que a utilização combinada de tadalafil 5 mg, medicação que ajuda uma erecção mas também sintomas urinários, e finasterida, que reduz os sintomas de inchaço ( “hipertrofia”) da próstata, melhora os sintomas em paralelo está urinária, ambas as dificuldades de ereção, significativamente em comparação com o finasteride combinado mais placebo. A resposta terapêutica está aí: fale com o seu médico … superando o último tabu. Tanto mais cedo, melhor: reduzir os sintomas urinários e sexuais, mas também recuperar uma melhor intimidade com o casal.

Problemas que podem causar impotência

Priapismo

Priapismo é uma ereção anormal do pênis durante um período prolongado, mais de 2 horas. Este distúrbio sexual é doloroso e ocorre sem a elevação da libido, isto é, fora da excitação sexual e não leva à ejaculação. Como outros distúrbios sexuais, o priapismo pode atacar em todas as idades.

Sintomas

A ereção se instala e continua sem que o indivíduo seja excitado. O início da ereção não é doloroso, mas a dor aumenta após algumas horas.

O pênis é duro, mas apenas no corpo cavernoso que circunda o canal da uretra, enquanto o corpo esponjoso e a glande permanecem moles. Torna-se impossível urinar.

Causas prováveis

O priapismo pode ser causada por certas desordens no corpo, tais como a drenagem de sangue através das veias do corpo cavernoso, doenças do sangue (anemia de células falciformes, a leucemia, a coagulação sanguínea anormal), síndroma mieloproliferativo, infecção do trato urinário . As causas do priapismo também podem ser psíquicas.

Tratamentos possíveis

O tratamento do priapismo deve ser feito o mais rápido possível para evitar sequelas. Se o priapismo persistir após 1 hora, recomenda-se tentar vários banhos frios ou tomar sedativos leves.

O tratamento médico com o departamento de urologia é essencial se o priapismo exceder 3 a 4 horas. a cirurgia é necessária para restaurar a drenagem normal do sangue.

Um tratamento baseado em medicamentos contendo um estimulante alfa é por vezes necessário quando o paciente tem priapismo não isquêmico (sem interromper a circulação).

Em casos extremos, é necessário realizar uma anastomose espongiocavernosa para aliviar a pressão no corpo cavernoso.

Ejaculação precoce

A ejaculação precoce é um distúrbio sexual que muitas vezes é motivo de escárnio, ligado à falta de experiência sexual, quando na realidade é totalmente falso.

A ejaculação precoce resulta em ejaculação precoce, o que muitas vezes leva os médicos e a maioria dos homens a se perguntarem quanto tempo leva para ejacular, já que não há um padrão.

No entanto, é importante para o homem retardar o momento do orgasmo, a fim de participar do jogo sexual durante o relacionamento e sincronizá-lo com o parceiro cujo orgasmo sempre ocorre muito mais tarde.

Sintomas

Durante o ato sexual, o homem é incapaz de conter seu orgasmo, o que resulta na ejaculação precoce do sêmen. Acontece mesmo que este momento ocorra bem antes da penetração .

A ejaculação precoce, portanto, cria uma grande frustração para homens e mulheres. O homem acha a relação sexual muito curta e a mulher fica frustrada por não florescer sexualmente.

Em alguns casos, o homem é considerado incapaz de satisfazer a mulher. O tratamento é, portanto, imperativo para preservar a vida de um casal, para negociar através da comunicação no casal.

Saiba mais sobre o produto Az 21.

Causas prováveis

Como a ejaculação precoce não é uma doença, é difícil determinar as verdadeiras causas.

No entanto, esse distúrbio sexual é frequentemente associado a problemas psicológicos espontâneos, como ansiedade, estresse, ansiedade, nervosismo e insônia.

Mas também podemos associar esse problema encontrado por uma grande proporção de homens pelo consumo de certas drogas, tabaco, álcool ou drogas.

Possíveis tratamentos

Muitos tratamentos estão atualmente disponíveis para a ejaculação precoce. No entanto, eles não curam o problema, mas apenas atrasam o mecanismo de ejaculação.

E assim que a droga é interrompida, o distúrbio volta. Medicamentos como Priligy  ou Emla, portanto, ajudam a aprender a controlar sua excitação e ejaculação, mas a consulta com um sexólogo é sempre recomendada.

O tratamento pode ser acompanhado por exercícios de relaxamento.

Remédio para emagrecer: vale a pena?

Remédio para emagrecer: vale a pena?

Aderir a medicamentos para perda de peso deve ser uma alternativa apenas quando for apresentada por um médico

A maioria das pessoas já sabe que, para emagrecer de forma saudável, o melhor caminho é unir uma alimentação balanceada à prática de atividades físicas. Mas, não há como negar: muita gente gostaria de poder contar com a ajuda de uma “fórmula mágica”, que fizesse com que a perda de peso ocorresse de forma mais rápida e sem grandes sofrimentos!

E é, geralmente, pensando nisso que algumas pessoas acabam recorrendo aos remédios para emagrecer. Mas será que, de fato, eles proporcionam um emagrecimento seguro? Quais são os riscos de contar com a ajuda desse tipo de medicamento? Enfim, será que vale a pena apostar neles?

Abaixo você confere as principais informações sobre os remédios para emagrecer e a opinião de um endocrinologista sobre o assunto.

Leia também: Kifina

Quais são os medicamentos que propiciam o emagrecimento?
Ao falar sobre remédios para emagrecer, a sibutramina é, provavelmente, o primeiro nome que vem à mente das pessoas. Durante um período, sua venda ficou proibida, mas, agora ela pode, novamente, ser comprada em farmácias, desde que com prescrição médica.

Fernando Moreno Sebastianes, médico endocrinologista e metabologista, com PhD pela USP-São Paulo, explica que, além da sibutramina, existe apenas o orlistat (mais conhecido como Xenical) aprovado para perda de peso no Brasil.

O endocrinologista destaca que algumas medicações, muito utilizadas no passado, como femproporex, anfepramona e mazindol, foram suspensas do mercado há alguns anos e não são mais vendidas no Brasil.

Ainda de acordo Sebastianes, há também muitos fitoterápicos que prometem ajudar na perda de peso, embora, na grande maioria das vezes, não tenham sido submetidos a estudos adequados para confirmar suposto benefício.

“Em outros países, existem mais duas opções para tratamento da obesidade: a lorcaserina e também uma associação em um mesmo comprimido de topiramato e fentermina. Porém, esses medicamentos ainda não são liberados para venda no Brasil”, acrescenta Fernando Sebastianes.

Como agem os remédios para emagrecer?
Fernando Sebastianes explica que a sibutramina é um medicamento com ação no sistema nervoso central, agindo principalmente no controle da saciedade. “A maioria dos medicamentos age dessa forma, embora em pontos diferentes das complexas vias que regulam a fome e a saciedade”, diz.

O endocrinologista acrescenta que a maioria dos medicamentos tem efeito mínimo de “acelerar o metabolismo”, não sendo esse o mecanismo principal pelo qual atuam.

“O orlistat tem um modo de ação um pouco diferente, onde cerca de 30% das gorduras ingeridas são eliminadas nas fezes. Esse medicamento não aumenta a saciedade (‘não reduz o apetite’)”, explica o profissional.

Medicamentos que têm o emagrecimento como efeito colateral

FOTO: THINKSTOCK

Vale destacar que existem medicamentos que podem ter como efeito colateral o emagrecimento. “Porém, eles não são aprovados exclusivamente para perda de peso, mas, sim, para tratamento de outras condições”, diz Sebastianes, que cita alguns exemplos:

Quem sofre de enxaqueca com crises frequentes e tem excesso de peso pode se beneficiar do tratamento com topiramato, uma vez que ele ajuda na prevenção das crises de enxaqueca e pode auxiliar na perda de peso.
Quem é muito ansioso ou depressivo e tem excesso de peso pode se beneficiar, por exemplo, da bupropiona.
Quem tem diabetes mellitus e dificuldades para emagrecer pode se beneficiar da metformina, liraglutida, ou mesmo de um novo medicamento chamado dapaglifozina.
O endocrinologista ressalta que uma eventual prescrição de qualquer uma dessas drogas para tratamento apenas de obesidade caracteriza o uso off-label da medicação (prática da prescrição de medicamentos registrados para uma indicação não incluída na bula do produto), permitido pelo CFM, mas que deve ser bem explicado ao paciente pelo médico.

“Essas são apenas algumas opções que dispomos. Mas vale destacar que é fundamental sempre consultar um médico endocrinologista antes de iniciar o uso de qualquer medicação com finalidade de perda de peso”, acrescenta Sebastianes.

Efeitos colaterais dos remédios para emagrecer
De acordo com Sebastianes, a maioria dos medicamentos é relativamente segura desde que prescrita após uma boa avaliação médica. “Porém, como qualquer medicamento, efeitos colaterais podem ocorrer”, diz. Ele cita alguns exemplos abaixo:

Cefaleia
Alteração do hábito intestinal (constipação ou diarreia)
Palpitações
Aumento da pressão arterial
Insônia
Boca seca
Irritabilidade
Alteração de humor
Depressão
Ansiedade
Formigamentos
Manchas na pele
Alteração de memória
O endocrinologista acrescenta que, em raríssimos casos, até convulsões são efeitos colaterais possíveis de ocorrer com um ou mais desses medicamentos. “Por isso, é importante a avaliação médica antes de usá-los”, destaca.

Como é possível comprar os remédios para emagrecer

FOTO: THINKSTOCK

A maioria dos remédios para emagrecer tem sua venda controlada, ou seja, eles só são vendidos com receitas médicas. É o caso da sibutramina e o do orlistat.

Já os fitoterápicos não requerem receita médica. “Porém, sabemos que eles também podem gerar efeitos colaterais. Por exemplo, quem tem arritmias deve evitar chá verde, uma vez que o mesmo pode agravar o quadro. Por isso, não incentivo o uso de nenhum desses medicamentos sem antes consultar um médico”, destaca o endocrinologista Sebastianes.

Em quais casos os remédios para emagrecer são indicados?
Fernando Sebastianes explica, de forma geral, em quais casos os medicamentos para emagrecer são indicados.

Obesidade: esta é uma doença, assim como o diabetes mellitus, cujo tratamento é baseado na elaboração de um plano alimentar, atividade física e, em alguns casos, medicamentos e até mesmo a cirurgia bariátrica.

Leia também: Kifina funciona

IMC (índice de massa corpórea) > 30 kg/m2: o endocriologista explica que, habitualmente, os medicamentos são indicados em casos de pacientes com IMC (índice de massa corpórea) > 30 kg/m2, com dificuldade de perda de peso, apenas com melhora na alimentação e exercício físico.

Doenças associadas à obesidade: a presença de doenças associadas à obesidade (diabetes, hipertensão, apneia do sono etc.) pode fazer com que o tratamento medicamentoso seja indicado em pacientes com IMC até menor do que 30.

Enfim, vale a pena aderir aos remédios para emagrecer?
Muitas pessoas comentam que têm dificuldades para emagrecer, por isso, querem logo aderir aos remédios que prometem uma perda de peso mais rápida. Mas será que este é mesmo o caminho?

Ao menos que a pessoa se enquadre em um dos casos citados acima (seja obesa, esteja com IMC superior a 30kg/m2, sofra com alguma doença associada à obesidade), a recomendação, geralmente, é seguir uma alimentação equilibrada e praticar atividades físicas para emagrecer. Isso é, sem contar com a ajuda de medicamentos, mas, sim, com a orientação de um nutricionista e, de preferência, de um educador físico.

FOTO: THINKSTOCK

Muitas vezes, o desejo de emagrecer se deve apenas a uma questão estética. Ou seja, a pessoa quer perder alguns (poucos) quilos porque não está se sentindo bem com o seu corpo. Porém, nesses casos, dificilmente os medicamentos são recomendados. O melhor caminho, sem dúvidas, é procurar um nutricionista e passar a seguir hábitos de vida saudáveis.

Vale ressaltar ainda que nem sempre os remédios para emagrecer oferecem resultados duradouros, principalmente quando a pessoa não entende que – paralelamente ao uso do medicamento – precisa mudar seus hábitos alimentares para alcançar bons resultados.

Não são poucos os relatos de pessoas que tomaram determinado remédio com essa finalidade por certo tempo e, logo depois, recuperaram o peso ou até ganharam mais quilos do que haviam perdido durante o regime.

Por isso, vale ressaltar, uma pessoa nunca deve aderir a um medicamento para emagrecer sem consultar um médico antes. Esta deve ser uma alternativa apenas quando for apresentada por um profissional.

“Meu conselho às pessoas que têm dificuldades para emagrecer, e pensam em aderir aos remédios, é que procurem um médico endocrinologista que poderá avaliar melhor caso a caso”, orienta Sebastianes.

O endocrinologista acrescenta que atualmente existem, inclusive, meios mais precisos de se analisar quanto de peso uma determinada pessoa precisa emagrecer. “Através, por exemplo, do exame de bioimpedância é possível aferir a quantidade de gordura, água e musculatura corporal. Atingir um bom peso significa atingir uma boa composição corporal, com níveis adequados de gordura e de músculo. Dessa forma, é possível realizar um tratamento mais personalizado para a necessidade de cada paciente e, conforme a história médica atual, medicamentos podem ou não ser indicados”, finaliza Fernando Sebastianes.

Dieta da Sopa para Emagrecer 7kg em 1 semana

Dieta da Sopa para Emagrecer 7kg em 1 semana

Não há nada melhor do que se sentir bem com o próprio corpo e conseguir eliminar as tão temidas gorduras localizadas, e para isso é necessário adotar uma alimentação saudável a base de uma dieta equilibrada, pois através desse método se consegue o resultado de um corpo enxuto e livre dos males. Existem diversos tipos e cardápios de dietas, e esses se aplicam a diversos resultados também, e para emagrecer de forma rápida e super eficaz foi criada a dieta da sopa.

A sopa é um alimento super leve e que pode causar saciedade deixando o seu corpo enxuto e sem a presença de várias medidas. A dieta da sopa promete proporcionar o efeito que você sempre desejou para o seu corpo, acabar com o inchaço, emagrecer e endurecer as áreas que devem permanecer assim. O grande intuito dessa dieta é proporcionar medidas mais enxutas para a silhueta. Além disso, o cardápio seguido se baseia em uma refeição diferente todos os dias, tendo um cardápio de 6 dias e proporciona perca de 7 quilos por mês.

Veja o Guia Da Dieta da Sopa

Leia também: Kifina Anvisa

Ao iniciar uma dieta é comum banir alguns alimentos do cardápio e também incluir outros, que podem acelerar e ajudar no processo de emagrecimento. Um exemplo disso é a inserção de sopas nas refeições, porém, para que o prato realmente ajude a eliminar as gordurinhas extras é necessário que ele tenha alguns ingredientes específicos. Caso contrário, pode ser que você não atinja o objetivo traçado.

DIETA DA SOPA PARA EMAGRECER
A dieta da sopa é uma dieta desenvolvida por alunos da USP especialmente para o hospital do coração. As dietas através de sopas e caldos consistem na substituição de nutrientes do nosso cardápio normal.

Sendo essa uma das dietas mais fáceis de preparar, podendo ser feita por qualquer pessoa e tendo efeitos rápidos para emagrecer, já que esse é um dos principais motivos pelo qual a dieta da sopa foi desenvolvida.

A dieta é baseada numa alimentação rica em benefícios que não contém gorduras, e além de tudo tem a capacidade para controlar os hormônios femininos e fazer com que o corpo não tenha retenção de líquidos, devido ao cardápio rico em líquido. É essencial também para manter os seios, pernas e bumbum bem firmes e durinhos.

DIETA DA SOPA DO HOSPITAL DO CORAÇÃO

Dieta da sopa faz bem?

A dieta da sopa do Incor (Instituto do coração) foi criada especialmente para pacientes com problemas cardíacos e necessitam perder peso rapidamente para processos cirúrgicos.

Graças a sua fama e efetividade na hora de perder peso em grande velocidade, a dieta da sopa tornou-se uma opção de regime para muitas pessoas.

Porém, isso pode ser um grave engano, uma vez que não há uma mudança de hábitos alimentares. O ideal é mudar sua alimentação, compondo seu cardápio com alimentos que aceleram o metabolismo e ajudam no emagrecimento a longo prazo.

NÃO ESQUEÇA DA REEDUCAÇÃO ALIMENTAR
Simplesmente, comer pouco não emagrece quando seu objetivo é a longo prazo, uma vez que é necessário mudar sua alimentação para manter o peso, após fazer a dieta, para fugir do efeito sanfona, o famoso emagrece e engorda.

A DIETA DA SOPA FOI DESENVOLVIDA PELA USP
A dieta da sopa utilizada pelo hospital do coração foi desenvolvida por pesquisadores da USP, que elaboraram uma combinação perfeita de alimentos e nutrientes necessários para uma redução de peso rápida, algo como emagrecer 7 quilos em 7 dias ou algo bem parecido com isso.

Os componentes da dieta permitem manter o corpo saudável no pequeno espaço de tempo em que é realizada a dieta, mas acaba impedindo a mesma de ser realizada por um período muito longo.

Por isso os pesquisadores da USP que desenvolveram a dieta falam que ela deve ser realizada por uma semana, e então deve ser feita uma pausa de alguns dias, para recomeçar o processo da dieta da sopa.

Leia também: Kifina bula

PRÓS E CONTRAS DA DIETA DA SOPA

Veja os Prós e Contras da Dieta da Sopa e como ela pode te ajudar a emagrecer

VANTAGENS
Entre as características positivas da dieta da sopa estão o alto consumo de legumes e verduras, alimentos estes que são ricos em vitaminas e minerais, ótimas fontes que ajudam no bom funcionamento do organismo.

A dieta da sopa eleva o consumo desses ingredientes que são vitais e normalmente não são consumidos pelas pessoas.

DESVANTAGENS
Já o lado negativo da dieta da sopa fica por conta da ingestão de calorias que é bem baixa e não suporta as necessidades energéticas do nosso dia-a-dia. Seguir essa dieta por mais tempo do que o recomendado resulta em sérias consequências para seus adeptos, como fraquezas, cansaço e tonturas.

Tais sintomas estão ligados diretamente a baixa ingestão de carboidratos que é um dos pontos que dá mais resultado a dieta da sopa.

CONHEÇA A DIETA DE 21 DIAS E COMO ELA PODE TE AJUDAR A EMAGRECER

COMO FUNCIONA A DIETA DA SOPA
Para fazer a dieta é bem simples e qualquer pessoa pode preparar a sopa de acordo com a receita que está logo a seguir, assim como o cardápio que deve ser seguido durante os 7 dias em que você vai fazer a dieta da sopa.

Se a dieta for feita corretamente, você deverá perder em torno de 7 quilos em uma semana, quer melhor resultado que isso, vai ter gente morrendo de inveja do resultado.

RECEITA DA SOPA
1 berinjela
2 nabos
2 cenouras
1 xíc. (chá) de vagem picada
3 pimentões coloridos
1 caixinha de molho de tomate
1 envelope de sopa de cebola
cheiro verde e salsão
1 col. (chá) de pimenta branca
1 tablete de caldo light de galinha ou carne
½ repolho roxo
MODO DE PREPARO
Cozinhe os legumes e separe. Coloque 1 ½ litro de água em outra panela e dilua a sopa de pacote e o molho de tomate. Quando ferver, acrescente os legumes e sirva.

Cardápio e Como Seguir a Dieta da Sopa

Conheça o cardápio da Dieta da Sopa para Emagrecer 7kg em 1 semana

1º Dia de dieta
Coma todas as frutas que desejar (nada de exageros), exceto banana e abacate. Tome a sopa pelo menos 2 vezes ao dia; beba chá, suco de uva (sem açúcar) e água à vontade.

2º Dia de dieta
Pode comer todos os legumes frescos que desejar (cru ou cozido) pode comer verduras a vontade. No jantar, se quiser, comer uma batata grande cozida com manteiga. Tome a sopa sempre que desejar.

3º Dia de dieta
Coma frutas e legumes à vontade, exceto batata, tome a sopa pelo menos duas vezes ao dia.

Obs: Se ao final do dia tiver feito tudo que lhe foi recomendado, deverá ter perdido em torno de 2300 a 3200 calorias.

4º Dia de dieta
Coma até 8 bananas e beba copos de leite desnatado à vontade. Tome a sopa pelo menos 2 vezes ao dia.

Obs: A banana e o leite possuem calorias, carboidratos, potássio, proteínas e cálcio que seu organismo estará necessitando neste dia particular de sua dieta. Eles irão diminuir o seu desejo de comer açúcar.

5º Dia de dieta
Hoje você poderá comer de 280 a 400 gramas de carne vermelha ou branca grelhada, com uma porção de tomates frescos e firmes temperados com sal, limão e azeite de oliva. Tome a sopa pelo menos 2 vezes ao dia, beba de 6 a 10 copos de água durante o dia, para eliminar o ácido úrico.

6º Dia de dieta
Hoje você pode comer até 3 bifes grandes grelhados de carne vermelha ou branca acompanhados de legumes cozidos, exceto batata. Tome sopa pelo menos 2 vezes ao dia, beba água, café, chá e sucos sem açúcar a vontade.

7º Dia de dieta
Hoje você pode comer arroz integral, legumes cozidos ou crus à vontade. Tome a sopa pelo menos 2 vezes ao dia. Beba água, café, chá e sucos sem açúcar a vontade.

DICAS PARA REALIZAR A DIETA DA SOPA
NÃO INGERIR
Pão, Bebidas Alcoólicas, Bebidas gasosas (Refrigerantes comuns e diets, bebidas energéticas) e Fritura

PARA DRIBLAR A FOME
Basta consumir, meia hora à uma hora antes das refeições, 1 pote de gelatina de ágar-ágar . A gelatina é vendida em lojas de produtos naturais e é bem fácil de se preparar, basta seguir as instruções da embalagem.

COMO TOMAR COLÁGENO HIDROLISADO PARA PELE E ARTICULAÇÕES SAUDÁVEIS

COMO TOMAR COLÁGENO HIDROLISADO PARA PELE E ARTICULAÇÕES SAUDÁVEIS

O colágeno hidrolisado é um suplemento alimentar, feito a partir de ossos e cartilagem bovina, que pode ser utilizado para promover a produção de colágeno pelo corpo, ajudando a melhorar o aspeto da pele e a fortalecer articulações, unhas e cabelo. Este suplemento pode ser encontrado na forma de cápsulas, mas é mais utilizado como pé para misturar em bebidas.

A suplementação com colágeno hidrolisado está indicada a partir dos 30 anos de idade, mas sempre sob orientação do médico ou do nutricionista.

Esse tipo de suplementação pode ser necessário para prevenir desgastes de articulações como joelho ou ombros e também para combater flacidez no rosto ou corpo e também para tratar celulite.

PREÇO E ONDE COMPRAR
O preço do colágeno hidrolisado varia de acordo com a forma de apresentação do suplemento, sendo de aproximadamente 20 reais para 150 gramas de pó, e 30 reais para 120 cápsulas.

Pode-se comprar colágeno hidrolisado em farmácias, drogarias, lojas de produtos naturais e pela internet. Ele também pode ser encontrado como ingrediente em produtos alimentares como balas de colágeno e barrinhas de cereais com colágeno, por exemplo.

COMO TOMAR
O modo de uso do Colágeno hidrolisado varia conforme a sua apresentação. Quando em cápsulas é recomendado tomar 1 ou 2 cápsulas por dia, juntamente com 1 copo de água, e quando encontrado em pó deve-se diluir 1 colher de sopa ou o conteúdo de uma saqueta em 1 copo de água, suco, vitamina, sopa.

Para melhores resultados, recomenda-se a ingestão de 9g de colágeno hidrolisado por dia e a ingestão de algum alimento fonte de vitamina C ao mesmo tempo para potencializar a sua absorção pelo organismo.

Leia também: Colágeno em pó

O colágeno hidrolisado pode ser encontrado sem sabor, sendo ideal para misturar aos alimentos líquidos ou pastosos. Este é um suplemento alimentar que serve para deixar a pele mais firme, combatendo a flacidez, rugas e linhas de expressão, além disso, também ajuda a emagrecer.

BENEFÍCIOS DO COLÁGENO HIDROLISADO
Os principais benefícios do colágeno hidrolisado incluem:

Melhora da sustentação da pele;
Fortalecimento dos ossos, articulações, unhas e cabelos;
Aumento da elasticidade da pele;
Melhora da aparência da celulite;
Emagrecimento porque promove a saciedade.
O colágeno hidrolisado em cápsulas pode ser mais prático para quem come regularmente fora de casa. Alguns exemplos são as marcas: Colágeno Hidrolisado da Sanavita e da Herbarium que podem ser encontrados em farmácias, drogarias e lojas de produtos naturais.

COMO USAR O COLÁGENO EM PÓ
O colágeno hidrolisado também é comercializado em pó para ser adicionado à água, suco, leite ou iogurte. Ele confere uma aumento da espessura ao líquido, deixando-o como se fosse um Shake. Este confere ainda sensação de saciedade, ajudando a emagrecer. Uma boa dica é comprar o colágeno hidrolisado em pó no sabor natural e adicioná-lo às sopas.

O colágeno hidrolisado não possui calorias, nem açúcar e por isso ele não engorda, contudo, o colágeno em pó, devido à presença de outros componentes, possui em média menos de 50 calorias por porção, mas que também não é suficiente para o aumento de peso.

Remédio para Dormir | Os 6 Mais Indicados para Você!

Remédio para Dormir | Os 6 Mais Indicados para Você!

Com cada vez mais casos de pessoas com insônia no mundo, o que não faltam são métodos para melhorar a quantidade e qualidade das horas de sono. Se você se pergunta: Porque eu não consigo dormir? E já tentou mudar seus hábitos, já tentou técnicas de relaxamento e até mesmo uso de fitoterápicos, chás e relaxantes naturais, sem ter resultado positivo em nenhum desses casos, é a hora de tomar medidas mais drásticas para garantir seu tão merecido descanso. Descubra entre esses qual é o melhor remédio para dormir, ou pelo menos o que funciona melhor com você.

Este artigo nós iremos apresentar 6 medicamentos indicados para tratamento de insônia. Mas lembre-se – tratam-se de remédios controlados de tarja vermelha e preta, sendo necessário prescrição médica para poder adquirir os medicamentos. Antes de qualquer decisão, converse com seu médico sobre a necessidade de uso de medicamentos e a dosagem ideal para seu corpo. VEJA: O Melhor Remédio Para Insônia !

Evite a automedicação a todo custo! Estes medicamentos podem causar dependência química, além de desencadear casos clínicos mais graves como Alzheimer e até mesmo, no pior cenário, o óbito caso usados de forma indevida.

Medicamentos para dormir mais utilizados:
Lexotan (Ou Bromazepam):
Trata-se de mais um ansiolítico indicado para controlar alterações de humor e diminuir a ansiedade. Tão conhecido quanto o Rivotril, o Lexotan também age no tratamento da esquizofrenia e outras doenças associadas a agitações psiquiátricas. É um medicamento forte, capaz de causar relaxamento muscular e sonolência quase que instantâneos, mas precisa ser administrado com cuidado pois uma super dosagem pode paralizar o sistema respiratório.

Frontal (Ou Alprazolam):
O terceiro benzodiazepínico da lista possui características parecidas com os primeiros: indicado para a indução de sono rápida, porém a substância é mais adequada para tratamentos de transtornos ansiosos. O Frontal deve-se ser administrado por no máximo 4 semanas, pois pode causar dependência e/ou tolerância ao medicamento.

Importante: O Melhor Remédio Pra Dormir é…

Prozac (Ou Fluxetina):
O Prozac é um famoso anti-depressivo capaz de atuar também no tratamento de psicoses maníaco-depressivas e transtornos bipolares, bulimia nervosa e transtorno do pânico. Sua ação rápida é capaz de induzir o sono minutos após a ingestão do comprimido. Por ser um medicamento forte, pode trazer efeitos colaterais como alucinações, febre, desmaios, impotência e alterações no peso. O uso indiscriminado pode agravar casos de insônia crônica, então é muito importante que você converse com seu médico para ter certeza se o Prozac é o medicamento ideal para o seu tratamento.

Buspar (ou Buspirona):
O Buspar é mais um medicamento da família dos ansiolíticos. Apesar de não ser indicado para tensões do dia-a-dia, muitos médicos ainda receitam o Buspirona para diminuir rapidamente quadros de insônia. Diferente de outros ansiolíticos, o Buspirona causa pouca a nenhuma dependência química ou psicológica, porém o uso contínuo pode criar outros efeitos colaterais como tonturas, vertigens, náuseas, agitação momentânea e nervosismo. Em casos mais graves, dor toráxica, afasia, aceleração dos batimentos cardíacos , movimentos involuntários do corpo e fraqueza muscular.

Lorax (ou Lorazepam):
Outro benzodiazepínico que possui efeito calmante forte e rápido, indicado para tratamento dos sintomas da ansiedade e redução do nervosismo. Por ter efeito sedativo intenso, é indicado para regular o sono de pessoas com dificuldades para adormecer. O principal efeito colateral é a supressão de memórias a curto prazo, sonolência excessiva e sensação de fadiga física e mental.

Rivotril (Ou Clonazepam):
Medicamentos mais famoso no Brasil para tratamento de depressão e distúrbios do sono. Ele age inibindo o sistema nervoso, relaxando a musculatura e passando a sensação de tranquilidade. Comumente indicado para casos de ansiedade e síndrome do pânico, inclusive em crises, por ter efeito rápido – cerca de 30 minutos após ingerir o comprimido você sente os efeitos. Pode causar sonolência, perda de equilíbrio e faltas de concentração.

Importante: Se você quer realmente vencer a insônia e começar ter noites de sono muito melhores sem depender de remédios controlados, eu recomendo que você acesse o site a seguir que apresenta uma nova maneira de combater a insônia, um SUPLEMENTO estudado por um pesquisador americano que é capaz de aumentar em até 98% o hormônio do sono. Veja aqui: O Vital Caps+ é

Colágeno hidrolisado: o que é e quais os seus benefícios?

Colágeno hidrolisado: o que é e quais os seus benefícios?

O colágeno é uma proteína que é produzida em nosso próprio corpo, de extrema importância e a mais abundante de todas dentro do organismo humano. Ela é responsável por funções como nossa elasticidade, sustentação e firmeza de tecidos como a pele, os ossos, os músculos e os vasos sanguíneos. Ele pode ser ingerido em diversos alimentos e também como colágeno hidrolisado, complementando a alimentação.

O que é?
Sua versão hidrolisada funciona como um suplemento alimentar. Ela vem, principalmente, de ossos e cartilagens bovinas, e é chamada dessa forma porque passa pelo processo de hidrólise, a quebra de suas partículas pela água, tornando a ingestão e o aproveitamento por parte do organismo maior.

Quais seus benefícios?
A função principal do colágeno é a de manter as células do corpo humano unidas. Ela mantém alta a elasticidade da pele, além de auxiliar na garantia da firmeza de tecidos, ossos e músculos. Em caso de baixas concentrações de colágeno no corpo humano, podem ocorrer consequências como o aparecimento de rugas, pele com flacidez, celulites e estrias, cabelos e unhas quebradiças e sensibilidade nas articulações.

Onde encontrar o melhor colágeno hidrolisado?
Para combater todos esses sinais que aparecem em nosso corpo, é ideal ter uma alimentação bastante rica em colágeno ou você pode garantir essa proteína com uma suplementação alimentar, em pó ou em cápsulas. Para ter uma dieta com colágeno abundante, aposte em alimentos como carnes brancas e vermelhas, nozes, amêndoas e castanhas, frutas vermelhas, ovos, vegetais como pimenta, beterraba e tomate, gelatina e geleia de mocotó.