Homens com impotência sexual têm mais risco de cardiopatia

A impotência sexual não é apenas uma das grandes preocupações da população masculina. Ela também pode ser considerada um indicador de doenças do coração. Você sabia disso? Um recente estudo da conceituada Associação Norte-Americana de Cardiologia, a American Heart Association, revelou que homens com disfunção erétil têm, em média, duas vezes mais chances de sofrer de infarto do que aqueles que não apresentam esse tipo de problema.

Segundo explica o dr. Celso Gromatzky, urologista no Hospital Sírio-Libanês, a principal relação entre a impotência sexual e a doença cardiovascular está no fato de ambas compartilharem vários fatores de risco.

Saiba mais: Prime Male

São condições que podem causar impotência sexual e cardiopatias:

Diabetes
Obesidade
Hipertensão
Taxas elevadas de colesterol e triglicérides no sangue
Tabagismo
Sedentarismo
Estresse
Causas de impotência sexual

A Sociedade Brasileira de Urologia estima que aproximadamente 25 milhões de brasileiros tenham algum tipo de disfunção erétil, sendo os homens com mais de 40 anos de idade os mais afetados.

A partir dessa faixa etária, a estimativa é de que pelo menos um de cada dois homens no País tenha algum tipo de disfunção erétil.

Também podem causar impotência disfunção erétil:

Problemas vasculares
Problemas neurológicos
Medicamentos específicos, como alguns anti-hipertensivos, diuréticos e psicotrópicos
Problemas hormonais
Problemas psicológicos
Diante desses fatores, as artérias do corpo começam a ser entupidas sistematicamente por placas de gorduras. Ou seja, todas elas podem ser afetadas em graus variáveis, elevando a chance de surgimento da disfunção erétil e de doenças do coração.

Além de infarto do miocárdio, existem evidências científicas mostrando também que as pessoas com impotência sexual têm mais riscos de apresentar insuficiência cardíaca. Essa síndrome se caracteriza pela redução na capacidade de o coração bombear o sangue para o corpo. “Ao redor de 30% dos pacientes com insuficiência cardíaca não têm vida sexual ativa”, observa o dr. Gromatzky.

Quando procurar por ajuda médica?

Embora muitas pessoas não saibam, a impotência sexual é uma doença como qualquer outra e merece atenção médica sempre que se manifestar. Uma falha ocasional na performance sexual, no entanto, não se caracteriza como doença, explica o dr. Gromatzky. “Para caracterizar uma doença, é necessário que o problema de ereção seja recorrente e esteja causando sofrimento ao paciente ou a seu cônjuge”, comenta o médico.

No Núcleo Avançado de Urologia do Hospital Sírio-Libanês, o tratamento da disfunção erétil é planejado, após análise minuciosa feita pelo médico com base em história clínica, exames físicos e avaliações complementares em cada paciente. As principais formas de tratamento oferecidas pelo Núcleo são:

Medicamentos orais, entre eles os inibidores da fosfodiesterase tipo 5 (os mais utilizados para facilitar a ereção)
Terapia de reposição hormonal
Terapia intracavernosa (através de injeções no pênis)
Implante cirúrgico de prótese peniana
Tratamento cirúrgico, destacando-se o implante de próteses penianas infláveis
A orientação médica é essencial no tratamento contra a impotência sexual até mesmo em relação ao uso dos inibidores da fosfodiesterase tipo 5, muitas vezes adquiridos sem receita. Esses medicamentos são totalmente contraindicados para pacientes em uso de outros remédios que contenham nitrato na fórmula, por exemplo. “O nitrato é um fármaco vasodilatador utilizado no tratamento da angina (dor no peito causada por obstruções nas coronárias), problema que pode estar presente em vários pacientes com disfunção erétil”, conta o dr. Gromatzky.

Quando tomados por pacientes que fazem uso de algum medicamento com nitrato, os inibidores da fosfodiesterase tipo 5 podem causar queda na pressão arterial de maneira imprevisível, podendo até levar à morte

Por esse e outros motivos, a impotência sexual merece acompanhamento de médicos especialistas. No Hospital Sírio-Libanês, o cuidado de pacientes com disfunção erétil leva em conta todas suas necessidade e limitações clínicas.

Você sabia que a organização ajuda no emagrecimento?

Você sabia que a organização ajuda no emagrecimento?

TEMPO DE LEITURA: 4 MINUTOS

Você já parou para pensar como a desorganização à sua volta pode dificultar que você viva de forma mais saudável, com melhor qualidade de vida e possuindo o corpo que você deseja?

Saiba mais: Phytophen funciona

O mau gerenciamento do seu tempo ou a bagunça na cozinha ou na sala de jantar pode ter relação direta na maneira como você lida com seu corpo e sua saúde.
Quando resolvemos fazer uma limpeza geral ou colocar as coisas em ordem e eliminar a bagunça , não se trata apenas de jogar coisas fora , mas sim de buscar a vida que você quer viver, a vida que você merece desfrutar.

Isto também é verdade quando queremos perder peso: não se trata apenas de jogar alguns quilos fora , mas sim de tentar buscar a vida que desejamos, num corpo que nos faça sentir bem.

Para Peter Walsh, autor Best Seller nos USA, dietas não funcionam. Ele acredita que o segredo para conseguir perder peso é parar de preocupar-se com contagem de calorias e começar a focar em como, porque e onde você come.

Quando estive na 20ª conferência da NAPO , Associação Nacional de Profissionais de Organização nos USA. Eram quase 1000 pessoas no evento, sendo 90% do sexo feminino. Apesar do alto índice de mulheres obesas nos USA, encontrei pouquíssimas “gordinhas” circulando por ali, um sinal talvez, de que a organização contribui mesmo para que tenhamos uma silhueta mais esbelta.

Neste evento, Peter Walsh foi um dos palestrantes principais, e eu tive a oportunidade e a satisfação de um dia sentar na mesma mesa a seu lado para o jantar. Pude conversar um pouco com Peter sobre seu mais recente livro “Does This Clutter Make My But Look Fat?”, algo como: Será que esta bagunça está deixando meu traseiro mais gordo? , sem lançamento previsto para o Brasil.

Suas idéias sobre como a desorganização na vida das pessoas pode ter um impacto direto na forma como elas comem e lidam com sua própria saúde, são realmente muito interessantes e vem ao encontro de vários conceitos que temos defendido em nossos treinamentos.

Podemos detectar situações claras onde a desorganização pessoal reflete diretamente no seu peso:
Pular refeições faz você engordar, comer de forma apressada faz você engordar, comer na frente da TV porque a mesa de jantar está sem espaço faz você engordar, comer “junk food” por “falta de tempo” faz você engordar, pedir pizza à noite porque não se organizou para o supermercado, faz você engordar, manter roupas “largas” no armário faz você engordar, manter a despensa desorganizada faz você engordar.

Na verdade eu poderia fazer uma lista de algumas páginas, descrevendo atitudes e hábitos, que podem em pouco tempo detonar com seus planos de viver de forma mais saudável.

A bagunça ou a desorganização à sua volta interfere na sua maneira de viver. Dificulta a respiração, dificulta a locomoção, dificulta que você enxergue de forma clara e impede que você fique focada e motivada.

• Você precisa organizar e limpar externamente, se quiser organizar e limpar-se internamente, obtendo um corpo que a faça sentir-se bem.Pensando assim, não precisamos de muita análise para concluir porque a maioria das dietas termina em redundantes fracassos. A questão não está no método ou tipo de dieta que se utiliza, mas sim no fato de você organizar-se para segui-la, entender a importância e a qualidade daquilo que come e dar um sentido às suas refeições.

• Você deve estar consciente quanto à forma que quer viver e quanto ao corpo que deseja e tomar decisões coerentes. Dizer que não tem tempo de fazer exercícios, mas passar diariamente 2 horas na frente da TV ou na sala de bate papo no computador não parece uma atitude coerente, parece?

• Outro ponto interessante a ser mencionado é a relação existente entre consumo, bagunça e quilinhos a mais. Nós consumimos (e gastamos) demais, acumulamos coisas demais e comemos (e bebemos) coisas demais. Mesmo já estando difícil lidar com o acúmulo de coisas em nossas vidas ou com a falta de espaço em nossos armários, continuamos a comprar mais sapatos e camisas. Mesmo com nosso tempo escasso e pressionado, continuamos a assumir compromissos e responsabilidades.

Da mesma forma, mesmo estando insatisfeitos com nossos corpos, continuamos a comer desordenada e inadequadamente.

Fim das rugas? Tania Khalill fala sobre tratamento revolucionário

Atriz comenta sobre tratamento estético que a ajudou a eliminar rugas e flacidez na região dos olhos

Se rugas e flacidez nas pálpebras são os efeitos mais marcantes com o passar do tempo, um novo tratamento, cada vez mais popular entre as celebridades, promete ser a solução. Ou pelo menos atenuar o problema. Em entrevista ao Uol, a atriz Tania Khalil falou sobre a questão: “Com o tempo, os pés-de-galinha aparecem e a pele fica cada vez mais marcadinha, especialmente ao sorrir”.

Radiofrequência monopolar ThermiRF é o nome dado a um tratamento que usa uma ponteira para diminuir a flacidez da região dos olhos. Conhecido como ThermoSmooth, o aparelho é semelhante a uma caneta capaz de esquentar a pele a uma temperatura de 45ºC constantemente. Para alcançar um resultado satisfatório, recomenda-se de três a seis sessões, a cada quinze dias, custando entre R$ 400 a

Saiba mais: Proteína asiática comprar

Com sensibilidade a tratamentos estéticos, atriz encontrou na ThermSmooth a solução para as marcas da pele
Estudos recentes garantem que, o contato com o calor, encolhe o colágeno da pele, firmando a flacidez e suavizando as rugas. Segundo a atriz, que afirmar ter sensibilidade a outros tipos de tratamento, a ThermoSmooth superou suas expectativas ao deixar o rosto mais liso e firme, além de diminuir os vincos. O resultado tem duração de um ano e requer sessão de manutenção.

5 dicas para evitar pés ressecados

Pés ressecados, como tratar? A hidratação da pele é fundamental para evitar esse transtorno. OhMyMag te dá cinco dicas para ter pezinhos macios!

Pés ressecados e ásperos são um grande incômodo. O ressecamento da pele pode deixar esta área do corpo, que costuma ser bem protegida pelos calçados, com um péssimo aspecto. Mas existem, sim, algumas maneiras de evitar este mal.

As causas para pés ressecados são muitas. A primeira delas é a própria estrutura da pele na região que, por não possuir pelos, é naturalmente mais seca. Há ainda fatores genéticos e ambientais que agravam o problema, além de hábitos como andar descalço, uso excessivo de sandálias e sapatos abertos, tomar banho com água muito quente e uso frequente de produtos de limpeza na hora da faxina.

Algumas doenças, como o hipoteroidismo, varizes, diabetes, micoses e obesidade também podem piorar a situação de quem tem pés ressecados. Há outras que podem ser facilmente confundidas com o ressecamento normal dos calcanhares e planta dos pés. Psoríase e dermatite são algumas delas.

É preciso cuidar da saúde dos pés e evitar que pés ásperos evoluam para as temidas rachaduras. Por isso OhMyMag te ensina agora cinco dicas para combater os pés ressecados.

Leia também: pé ressecado

1 – Hidratação sempre

Os pés são naturalmente mais ressecados que o resto do corpo devido à ausência de pelos. Por isso precisamos dar uma mãozinha: o uso de hidratante é indispensável para quem quer pés macios. Produtos à base de ureia ou silicone alcançam melhores resultados. Portanto, use creme hidratante diariamente para evitar pés ressecados. Especialistas indicam que o melhor horário para fazer este verdadeiro ritual é antes de dormir, já que é o período de repouso. Além de evitar a combinação de pés escorregadios e acidentes, aumenta a penetração do hidratante na pele. Que tal deixar seu creminho mágico sempre na mesa de cabeceira para não esquecer?

2 – Durma de meia

Os efeitos positivos da hidratação dos pés antes de dormir podem ser potencializados com o uso de meias de algodão. Elas também ajudam na absorção do hidratante na pele.

3 – Esfolie com moderação

A esfoliação é fundamental para a manutenção dos pés macios. Mas é preciso ter cuidado: ela deve ser feita de forma suave, com os pés molhados, para não causar o efeito reverso, já que a pele pode engrossar como reação a uma esfoliação intensa. O processo deve ser realizado apenas uma vez por semana também para evitar o espessamento progressivo da pele nessa região. Além do tradicional uso da lixa, ainda dá pra esfoliar os pés ressecados com receitas caseiras usando mel, gengibre, óleo de amêndoas, entre outros produtos naturais.

LEIA TAMBÉM
Como acalmar um bebê que chora demais?

4 – Beba água

Beber a quantidade certa de água diariamente ajuda a manter a pele hidratada. Isso também reflete nos pés, claro. Especialistas indicam a ingestão de dois litros de água todos os dias. Não esqueça da garrafinha se não quiser mais ter pés ressecados!

5 – Evite calçados abertos ou andar descalço

Andar descalço, usar sandálias rasteiras e sapatos abertos deixa os pés mais expostos às agressões do dia. O atrito direto da pele com o solo ajuda também a engrossar os pés, já que a derme tenta se proteger ficando mais espessa. Por isso, se puder evitar a rasteirinha de vez em quando, a saúde dos seus pés vai agradecer!

9 dicas para uma pele saudável sob o sol

Com a chegada do verão, os cuidados com a pele (nunca é demais repetir) devem ser redobrados.

LEIA MAIS: Como proteger a pele dos efeitos da luz de escritório

Além disso, o dezembro foi o mês do Dezembro Laranja, campanha da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) de conscientização do risco do câncer de pele e de alerta sobre a importância da prevenção.

Listamos nove dicas para você curtir o melhor da estação sem colocar sua saúde em risco.

Leia também: Dicas pele saudável

1. Escolha um bom filtro para o rosto e outro para o corpo. Consulte seu dermatologista e descubra qual o melhor para você, de acordo com seu tipo de pele. O mercado oferece uma infinidade de marcas, texturas, ativos, fatores de proteção e outros benefícios. Protetores físicos que contêm óxido de zinco e/ou dióxido de titânio conferem maior proteção por criar uma barreira na pele onde os raios UV não são absorvidos – são mais recomendados para quem apresenta reação alérgica a cosméticos.

*Dra. Letícia Nanci é médica do Hospital Sírio-Libanês; médica-responsável pela Clínica Dermatológica Letícia Nanci; membro-efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); da American Academy of Dermatology (AAD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD)

Ciclo da ruga: Saiba mais sobre as etapas da formação das linhas de expressão!

Leia também: Problemas de pele como tratar

O surgimento das rugas e linhas de expressão é algo que faz parte do processo natural de envelhecimento da pele. Entretanto, tais marcas não aparecem do nada, mas sim de forma gradativa, se intensificando ao longo do tempo. A dermatologista Vanessa Kodani explica quais são as etapas de formação dessas marcas, que compõem o ciclo da ruga.

Entendendo o ciclo da ruga

“A formação das rugas se dá por meio da redução dos componentes normais da pele, como colágeno e elastina, além da diminuição do tecido adiposo e da atividade das glândulas cutâneas, o que a torna mais seca. A movimentação muscular, com a formação de pregas faciais, funciona como um agente para a formação das linhas de expressão numa pele propensa”, informa a dermatologista.

No início, a produção de colágeno (substância que dá firmeza à pele) passa a diminuir e, com isso, surgem as primeiras rugas e linhas de expressão. Com o tempo, a pele vai ficando mais flácida e as rugas se tornam mais profundas e marcadas. Sem os devidos cuidados, quando o indivíduo atinge uma idade mais avançada, as marcas no rosto já estão bem destacadas.

Cuidados e produtos que fazem parte do tratamento das rugas

Por mais que não seja possível acabar com o ciclo da ruga, você pode retardar o processo de envelhecimento da pele ao adotar hábitos saudáveis durante toda a vida, como prática regular de atividade física, alimentação balanceada, evitar tabagismo e excesso de bebida alcoólica e ter cuidado com a exposição solar. Dessa forma, a intensidade das rugas e linhas de expressão tende a ser menor.

Além disso, existem ainda procedimentos farmacológicos que ajudam a amenizar e controlar as rugas, como o uso de cremes e hidratantes. Produtos feitos com ácido hialurônico e silício orgânico garantem mais firmeza, hidratação e elasticidade, assim como aqueles com ação antioxidante, vitamina C e derivados de retinol, que estimulam a produção de colágeno e renovam a pele.

Descubra 5 dicas para acabar com a flacidez

Veja como acabar com a flacidez e recuperar a firmeza da pele. Saiba quais são as principais causas do problema e aposte na prevenção.

Um dos problemas estéticos mais comuns e que mais incomodam as mulheres é a pele flácida. A boa notícia é que ela também é uma das preocupações mais fáceis de resolver. Na maioria dos casos, bastam mudanças de hábitos na e a prática de exercícios físicos para acabar com a flacidez e conquistar a boa forma.

SAIBA MAIS
6 dicas: Tenha seios bonitos e firmes sempre

Além disso, existem também tratamentos estéticos que ajudam a acelerar e facilitar o processo, proporcionando mais firmeza para a pele.

Principais causas da flacidez
A flacidez ocorre devido à falta de fibras de sustentação da pele, o colágeno e a elastina, sendo resultado principalmente do processo natural de envelhecimento, em que a pele reduz a produção nessas fibras. Outros fatores que contribuem para o problema são uma grande perda de peso ou ainda uma gravidez em que a pele não conseguiu retornar ao normal.

Leia também: Flacidez como tratar

Praticar exercícios físicos ajuda a combater a flacidez.
Praticar exercícios físicos ajuda a combater a flacidez.
Foto: iStock/Getty Images / Vivo Mais Saudável
Vale lembrar também que a flacidez é uma característica genética, e que algumas mulheres podem ter mais facilidade em desenvolver o problema, assim como mais dificuldade em eliminá-lo. Alguns fatores que agravam a situação são a má alimentação, o sedentarismo, o (em que ocorre alteração do peso corporal frequentemente), entre outros.

Existem dois tipos de flacidez: a muscular e a dérmica. A primeira é mais profunda e difícil de ser tratada, pois aparece em decorrência do desgaste das fibras de sustentação dos músculos. Já a flacidez dérmica, a mais comum e superficial, apresenta apenas uma desorganização dessas fibras.

Em geral, é possível acabar com a flacidez e recuperar totalmente a firmeza da pele, mas alguns casos exigem mais dedicação e tratamentos variados.

Como acabar com a flacidez em 5 passos
1. Mantenha uma alimentação correta

Além de consumir opções mais naturais e evitar gorduras, para acabar com a flacidez também é importante ingerir alimentos ricos em proteína, pois eles ajudam na formação dos músculos, que preenchem a pele flácida. Alguns deles são frango, peixes, carne vermelha, queijo, ovos, e soja.

2. Beba bastante água

Outra dica importante é aumentar a ingestão de água para manter a pele bem hidratada, melhorando o seu aspecto e evitando a flacidez.

3. Pratique exercícios físicos

Manter uma rotina regular de atividades físicas também é essencial para acabar com a flacidez, pois aumenta e tonifica os músculos, além de ajudar no fortalecimento das fibras de sustentação da pele.

4. Use cosméticos

Existem produtos específicos para ajudar a dar mais firmeza à pele. É indicado aplicar diariamente nos locais mais afetados cremes à base de silício ou colágeno. Além disso, quem está no processo de perda de peso ou no início da gestação também deve usar produtos para dar mais elasticidade à pele para que ela não fique flácida depois.

5. Recorra a tratamentos estéticos

Em casos mais extremos, em que houve a perda de muitos quilos ou existe dificuldade para eliminar a flacidez, é indicado recorrer a tratamentos estéticos. Vale lembrar que não basta apenas fazer os procedimentos sem adotar uma mudança nos hábitos alimentares e na prática de atividades físicas, pois um fator complementa o outro.

Um tratamento que promete bons resultados é com o uso de aparelhos de radiofrequência, que ajudam na formação de novas fibras de colágeno, conferindo sustentação à pele e contraindo as fibras já existentes. A drenagem linfática também é uma boa opção, pois estimula o organismo a eliminar toxinas através da urina.

 

CUIDANDO DA PELE (DO BEBÊ!)

Sendo a louca dos cremes e tratamentos desde novinha, sabia que virando mãe eu descobriria todo um novo mundo de cuidados: desde a gravidez que pesquiso os melhores produtos pra pele do bebê dentre a infinidade de opções que encontramos por aí. Na semana passada tive uma experiência super legal relacionada a isso: conheci uma dermatologista especializada em bebês e crianças (nem sabia que existia essa especialidade!)!
mustela3
A Dra Silmara Cestari fez uma apresentação durante o lançamento do Creme Vitaminado Preventivo 123 da Mustela que me deixou bem impressionada – não sabia nada sobre assaduras e fiquei assustada com o quanto pode machucar o bebê! Fiquei feliz em saber que já faço tudo que ajuda na prevenção: trocar frequentemente as fraldas (no máximo a cada quatro horas), secar bem e usar cremes que formam uma barreira – aqueles com óxido de zinco (que deixam o bumbum branquinho!).

Leia também: Hipoglós comprar
mustela2
O lançamento da Mustela é perfeito pra esse momento: o Creme Preventivo 123 é resultado de dez anos de estudo e e previne, acalma e alivia as dermatites das fraldas na pele do bebê.. O mais bacana é que 98% dos ingredientes do creme são de origem natural e ele não tem parabenos nem conservantes – sempre ouvi dizer que a pele dos bebês (principalmente os pequenininhos!) é super sensível e sou bem chata pra escolher o que usar na Bia, achei isso super importante!

Eu já uso o Creme Preventivo 123 há algumas semanas (apareceu num recebidos do Youtube!) e o que mais me chamou atenção nele foi o quanto rende: um pouquinho (inho mesmo) de produto já é suficiente, eu estava mal acostumada no início e acabava exagerando, hehe!

O efeito de máscaras faciais industrializadas é igual ao das naturais?

Especialista explica quais são os ativos de uma máscara facial encontrada em lojas de cosméticos e indica o que você deve saber antes de usar o produto
Entre as pessoas que curtem cuidar da pele, é comum quem busque máscaras faciais como forma de mantê-la bem hidratada e nutrida. Apesar disso, ainda é mais fácil encontrar esse tipo de produto em lojas de cosméticos e mercados fora do país – especialmente na Ásia – e são poucas as marcas nacionais que oferecem opções variadas.

Leia também: Especialistas ensinam receitas caseiras para cuidar das unhas e da pele

Leia também: Máscara de pepino

O número de brasileiras que estão buscando máscaras faciais como opção para manter a pele hidratada cresce a cada dia
shutterstock
O número de brasileiras que estão buscando máscaras faciais como opção para manter a pele hidratada cresce a cada dia

Para suprir essa necessidade do mercado brasileiro de beleza , a Ricca, marca da Belliz Company, lançou uma linha de máscaras faciais composta por 11 produtos em diversos formatos e embalagens, incluindo máscaras em creme, geleia, tecido, “peel off” — aquele tipo que seca na consistência de látex e deve ser puxada para remover os cravos — e até adesivos secativos para acne.

Para saber quais são os benefícios dos ingredientes utilizados na composição desses produtos, o Delas conversou com Larissa Viana, dermatologista especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), e, de acordo com ela, os compostos realmente podem ser fonte de hidratação e rejuvenescimento para a pele , além de ajudar no combate à oleosidade.

“A camomila, por exemplo, possui ativos calmantes, antioxidantes, cicatrizantes e iluminadores. Já a maleleuca é curativa, antisséptica, analgésica, anti-inflamatórias, antiviral e possui muitos outros benefícios desintoxicantes”, explica a dermatologista. Esses dois itens ainda são combinados com hialuronato de sódio, que também ajuda a hidratar, dar brilho e deixar a pele macia.

Outra opção é uma composição de extrato de romã. Em uma máscara, esse ativo é antioxidante e ajuda na redução da oleosidade e da acne. A mistura também leva niancinamida, que estimula a produção de diversos nutrientes e proteínas como a queratina e a filagrina, que ajudam a reter a água entre as células, promovendo a hidratação .

Ingredientes como panthenol, própolis e ginko biloba também são benéficos para a pele. “O panthenol é hidratante e previne o envelhecimento precoce da pele. Já o própolis possui ação cicatrizante, anti-inflamatória e antioxidante, assim como o ginko biloba, que também ajuda a melhorar a circulação e combate olheiras, por exemplo”, afirma Larissa.

“O chá verde é outro ingrediente que funciona como um potente antioxidante e seu alto teor de ácido tánico é excelente para reduzir o inchaço e a inflamação dos tecidos da pele”, explica ela. O ativo do chá ajuda a proteger a pele dos efeitos dos raios solares e ainda reduz os efeitos adversos na pele pela exposição a raios UV.

A especialista também afirma que carvão ativado, que normalmente é utilizado nas máscaras industrializadas visando a remoção de cravos, também é um ótimo aliado contra a oleosidade. “Ele promove um efeito detox, eliminando da pele partículas de sujeira e estimulando a renovação celular”, explica.

Leia também: Adolescente faz tratamento para acne com chá verde e mel, mas funciona?

O que é preciso saber antes de usar máscaras faciais?
Máscaras faciais de tecido têm os ativos mais concentrados e em quantidade certa para serem absorvidos pela pele
shutterstock
Máscaras faciais de tecido têm os ativos mais concentrados e em quantidade certa para serem absorvidos pela pele

Antes de escolher qual ativo é melhor para você, é preciso saber se a sua pele é seca, oleosa ou mista. Dessa forma, é mais fácil descobrir quais nutrientes seu corpo precisa e, principalmente, chegar ao resultado que as máscaras oferem. “Se seu tipo de pele tem tendência oleosa, é melhor evitar as máscaras super hidratantes, que podem causar acne”, alerta a especialista.

Além disso, pessoas que possuem peles extremamente ressecadas e com lesões, como eczemas, devem evitar o uso de máscaras faciais que contêm argila. “As argilas são naturalmente cicatrizantes, regeneradoras e calmantes, sendo uma boa solução para todos os tipos de pele, mesmo as mais sensíveis, ou com problemas, como as peles acneicas, envelhecidas ou fotoenvelhecidas”, diz. Porém, o uso contínuo desse item pode deixar a pele ressecada.

Outro ponto importante é saber se há alguma espécie de alergia aos ativos do produto. Para fazer isso, Larissa recomenda testar o produto no antebraço com ao menos dois dias de antecedência antes de aplicar no rosto. Se houver alguma reação alérgica no local aplicado, não é uma boa ideia aplicá-lo no rosto. Caso contrário, o uso é liberado.

Se a dúvida for sobre como escolher entre uma máscara de tecido ou uma em creme, a dermatologista explica que o resultado é o mesmo. “A única diferença é que as máscaras de tecido são individuais e possuem a quantidade de produto certa para ser absorvido pela pele. Os cremes podem ser usados mais de uma vez e por mais de uma pessoa, além de precisarem de uma conservação adequada para uma maior duração”, afirma.

No caso do adesivo secativo para acne, a dermatologista não recomenda que ele seja utilizado durante o dia inteiro, como alguns produtos recomendam. “Também não é bom sair ao sol utilizando o item, apenas colar o adeviso sobre a espinha à noite e com a pele limpa”, diz Larissa.

Leia também: Quer fazer a própria maquiagem em casa? Veja dicas de especialista

Quero fazer em casa, e agora?
As máscaras faciais feitas em casa também funcionam tanto quanto as industrializadas e utilizam os mesmos ativos
shutterstock
As máscaras faciais feitas em casa também funcionam tanto quanto as industrializadas e utilizam os mesmos ativos
Se você se interessou pelos benefícios dos compostos das máscaras, fique sabendo que não é estritamente necessário comprá-las, já que é possível criá-las em casa mesmo. A recomendação da especialista, seja com os produtos industrializados ou feitos em casa, é utilizar as máscaras faciais uma vez por semana e, antes de aplicá-las no rosto, higienizar bem a pele.

“Outra sugestão é sempre consultar um especialista antes de utilizar essas receitas combinadas à outros produtos para o rosto, como sabonetes, hidratantes e filtro solar adequados”, finaliza Larissa. Confira algumas receitas que podem ser úteis:

Contra espinhas e oleosidade
De acordo com a dermatologista, a mistura de uma colher de sopa de chá verde e uma colher de sopa de mel pode ser um ótimo remédio contra as espinhas, por exemplo. A receita é preparar o chá e, depois de pronto, misturá-lo com o mel. “Espere esfriar, use como uma máscara facial por cerca de 20 minutos e depois lave o rosto. Você também pode borrifar a mistura no rosto antes de dormir ou retirar o pó do saquinho de chá para fazer a máscara”, sugere a especialista.

Outra receita para peles com acne ou para uma máscara detox, é misturar uma colher chá de argila verde, uma gota de óleo essencial de eucalipto e duas gotinhas de óleo essencial de melaleuca em uma colher de sopa de água. “Dilua os óleos em água e acrescente a argila. Misture bem e aplique no rosto, evitando a área dos olhos”, indica. É recomendado deixar entre cinco e oito minutos e, depois, é só lavar e secar o rosto de forma delicada.

Para peles irritadas e sensíveis
Para fazer uma máscara facial com efeito calmante, utilize duas colheres de chá de mel, uma colher de gel de babosa (aloe vera) e acrescente uma ou duas gotas do óleo essencial para seu tipo de pele. Misture tudo, aplique, deixe entre dez e 15 minutos e, depois, lave com água quente. “Essa receita possui efeito calmante e pode ser utilizada para pele irritada e sensitiva. É bom para todos os tipos de pele e não há contra-indicação.”

Se a sua pele fica muito exposta ao sol e tem algumas manchas, uma das melhores máscaras faciais para mantê-la saudável é a feita com uma colher sopa de argila branca, uma colher sopa de vinagre de maçã e entre duas ou três gotas do óleo essencial mais indicado para o seu tipo de pele. Misture tudo com água de maneira suficiente para formar uma pasta, passe no rosto e limpe depois de 15 minutos.

Fonte: Delas – iG @ https://delas.ig.com.br/beleza/2018-04-14/mascaras-faciais-beneficios.html

Dizem que não é o tamanho do barco que conta, mas como ele navega. Isso não impede que alguns homens fiquem (realmente) preocupados com o tamanho de seu pênis.

E não importa como você mede o tamanho do sexo , todo mundo quer ter certeza e ter certeza de que eles são “normais”.

Então, aqui estão sete coisas que todos deveriam saber sobre o tamanho do pênis.

1. O tamanho da sua mão (ou pé) não conta

Ah, essa velha crença. Este é um dos mais antigos, e até agora a maioria dos estudos não mostra nenhuma conexão entre a mão e o pênis.

De fato, uma pesquisa feita em 2016 revelou que o tamanho do segundo e quarto dedos de um homem pode estar ligeiramente correlacionado com o tamanho do pênis em termos de pés e mãos, mas o restante da evidência apresentada permanece muito frágil. ou mesmo incerto.

2. Mas onde você mora no mundo pode fazer a diferença

O tamanho de suas pernas provavelmente não afeta sua masculinidade, mas suas origens podem. Os mapas do mundo criados pelo designer gráfico Martin Vargic mostraram como os dados entre os diferentes países variam consideravelmente.

Africanos e pessoas de partes da América do Sul – incluindo Colômbia e Venezuela – são mais mimados pela natureza do que seus primos europeus e asiáticos, sendo estes últimos os menos afortunados. Desculpe senhores.

3. A medida média de um pênis ereto é de 5,2 polegadas ou 13,2 cm

Embora agora saibamos que o tamanho varia enormemente em todo o mundo, um estudo de 15.000 homens de todo o mundo concluiu que o tamanho médio do pênis é de 5,2 polegadas ou 13,21 cm, com circunferência 4,6 polegadas ou 11,68 cm.

E se você se sentir desconfortável com esta notícia, lembremos que apenas 2,28% da população masculina tem um pênis anormalmente pequeno. Você se sente melhor?

4. O tamanho do pênis é importante para as mulheres apenas durante “uma noite”

Se essas estatísticas não ajudaram você a se tornar mais confiante com o seu membro, então você deve saber que os estudos mostraram que o tamanho do pênis não importa para as mulheres apaixonadas, a menos que você tenha uma aventura de um. noite.

O estudo (com uma amostra bastante pequena, deve ser apontada) revelou que apenas o sexo sem futuro levava as mulheres a preferirem pênis maiores em vez de médias, mas por incrível que pareça, eles só estavam interessados ​​em circunferência e não o comprimento. Interessante.

5. Mas o tamanho do pênis é importante para outros homens

Mesmo que você esteja a salvo do julgamento do sexo mais justo, parece que os homens estão preocupados com o olhar de outros homens que julgam seu pacote.

Estudos mostraram que os homens julgam o atributo de seus cúmplices no vestiário ou quando estão em camisas . Parece que os mais pendurados são os mais respeitados.

6. Homens com pênis maiores são mais propensos a serem enganados

Se você impressionar seus amigos do sexo masculino com o que você tem, os estudos revelaram que as mulheres casadas com homens com um pênis grande eram mais propensas a ir para outro lugar.

Na verdade, cada polegada extra aumenta a probabilidade de que as mulheres as enganem 1,5 vezes. Você não pode ter tudo.

7. São os alemães que sofreram maior aumento do pênis no mundo

Mesmo que eles não estejam na parte de baixo da lista em termos de tamanho, os alemães parecem complexos, já que o país é o lugar onde há mais intervenções para aumentar o pênis em todo o mundo.

De fato, houve um total de 2786 procedimentos nos 15.414 casos que ocorreram no planeta em 2013. Talvez sejam salsichas de rua extragrandes que as complexificam.